por Karine Rosa

Eu cansei de negar. Eu podia continuar amargurando muita coisa que aconteceu, outras histórias, outros romances, outros dramas. Mas isto não é novela mexicana. Talvez seja filme B, mas acho que nem isso. Não dá roteiro. Ou não dava – até que apareceu você.

Eu sempre disse que não dá pra curar ferida de amor com outro caso qualquer. Mas aí você se meteu por aqui com uma paciência de Jó e esperou que eu me curasse. Tem isso, não é? De vez em quando a pessoa certa chega, mas a gente não tá curado o suficiente para perceber, ou se entregar, ou se permitir. Eu não me permiti te amar logo de cara, mas acho que alguns amores não precisam pedir permissão. Você apareceu na hora errada e nem assim conseguiu dar errado.

Por isto, pra dar certo, se você quiser, tá tudo bem. Eu grito aos quatro cantos que, caraca, acho que é você. Não o grande-amor-da-minha-vida, nem o-tal-do-cara-certo. Eu cresci, quebrei a cara e deixei esses rótulos bobos para trás. Mas é você, sabe? Se eu tivesse que escolher alguém pra arriscar partir meu coração de novo. Se eu tivesse que escolher um abraço. Se eu tivesse que colocar a mão no fogo.

A pessoa seria você.

Não porque eu tenho certezas. Afinal, quem sabe, realmente, qualquer coisa da vida? Qualquer coisa de relacionamentos? A gente vai tentando e rezando pra alguma coisa dar certo, é só isso. Mas é que eu torço por você. De todos os caras que já apareceram, de todas as minhas histórias tortas, de todas as pontas soltas que fui deixando ao longo do caminho, você é por quem eu mais torci. Por quem eu ainda torço.

Então, é isto. Fica. Divide o dia a dia comigo. Me ensina sobre a paixão nas pequenas coisas, me ensina sobre o amor nos pequenos detalhes. E torce por mim. Porque eu cansei de negar: não sei como, mas você me fez te amar.


Deixe um comentário

Novidades por e-mail