Talvez, para você que me acompanha a mais tempo, vai achar estranho o título. Afinal, nunca ninguém viu esse tema por aqui. Mas, uma coisa sempre disse, quando sai texto é porque o coração está triste. Já escrevi muito em momentos de fim de namoro, ou por um dia difícil no trabalho, ou só porque acordei sentindo um aperto no coração, mas sobre depressão nunca falei. Até porque não tinha sentido em falar sobre algo que não conhecia tão bem. Quando digo “não conhecer tão bem”, é porque ouvimos histórias, relatos de pessoas conhecidas que estão passando por essa doença tão cruel. Você só conhece algo de fato, quando passa pela situação. Dizer ao outro que entende o que ele está vivendo é muito fácil, mas você jamais saberá o que o outro está sentindo realmente.

A mais ou menos uns cinco anos atrás, comecei a me sentir completamente desmotivada em várias situações, porém, você sempre pensa que é uma fase. De uns três anos pra cá, comecei a ficar mais nervosa que o normal e uma oscilação de humor constante. Mas, ai você pensa que é estresse do trabalho, que é porque tem problema na família ou até porque o namoro as vezes não vai bem. Daí é quando você começa a perceber que os problemas vão se resolvendo, as coisas vão se encaixando, mas a sua tristeza e sua ansiedade se mantém da mesma forma. Você percebe que uma pequena coisa acaba com seu dia. E que coisas pequenas se tornam imensas.

A vontade de caminhar e fazer academia diminuem mais que o normal, porque de fato não curto academia, mas sempre me esforçava para fazer pelo menos uma caminhada. E daí você decide comprar uma bike, porque andar de bike quando era criança era muito legal. Mas, aí ela fica encostada e você nunca andou. Você percebe que escrever no blog e gravar vídeos não tem sentido. E que seu quarto é o melhor lugar do mundo. E se você se queixar para alguém sobre esse tipo de sentimento que vem passando, você ouve: “larga de ser fresca”, “isso é TPM”, “você tem tudo, pra que isso?”, “isso é falta de Deus”, “isso é falta de serviço”.

As pessoas começam a te achar fresca e sem noção. Quando você diz que está sufocada ou sentido uma falta de ar, dizem que é porque você quer trocar o celular por melhor e não tem grana naquele momento. E atrás de mil outras coisas que só quem sente e tem depressão já devem ter ouvido. Gente, quando eu falo de você sentir uma tristeza aleatória é uma coisa, quando eu falo de uma tristeza constante é outra. Posso afirmar isso, porque eu já senti as duas.

Hoje, depois de uma semana para cá tenho chorando todos os dias, e indo para o trabalho e comprimindo minha função e entendendo que lá eu esqueço um pouco do que estou passando, foi que eu percebi que antes disso tudo começar, escrever me fazia bem. Parece que eu desabafava e aquilo tudo de ruim desaparecia. E é por isso, que hoje sei diferenciar a tristeza de depressão. Antes a tristeza ia embora, hoje ela permanece. Sem eu nem entender o porquê.

Tirar fotos, gravar vídeos, sair, conversar, dar risadas, ouvir música dançando enquanto arrumava casa, são coisas que não fazem mais parte da minha vida. Não sei a última vez que sentei em uma roda de amigas, não sei a última vez que sorrir de verdade. Porque sorrir com a boca e diferente de sorrir com o coração. Nem sempre você parece ser o que é, nem sempre você demonstra tudo o que sente. E por muitas vezes você prefere fingir que está tudo bem para evitar ouvir coisas do tipo das que citei acima.

Não ter vontade de viver é uma coisa muito séria, porque você pensa de todas as formas que poderia morrer. Mas, você lembra que tem uma família, e é nesse momento que você começa a entender que sua vida está de cabeça para baixo e que você precisa de ajuda. Essa última semana foi a mais difícil desde que fui diagnosticada com depressão, e esse texto é uma das poucas vezes que falo isso pra mim mesma. Depressão. Nunca pensei em passar pelo que estou passando e nem sentir o que estou sentindo. É a sensação de estar num abismo, percebendo que tudo não faz sentido. E que você levanta cedo e não tem vontade de ir ao trabalho e muito menos de ver pessoas. Eu trabalho com pessoas, e atendo pessoas, você que muitas vezes apontou o dedo para mim e disse ser frescura, não tem noção o quanto cada sorriso e cada bom atendimento que faço tem sido difícil. E eu amo meu trabalho, amo saber que todos os dias tenho um lugar que paga meu salário em dia, que me oferece aquela oportunidade, que encontro pessoas que são mais que meus colegas de trabalho, são meus amigos. E você ai, imagina como é sair de casa sentido tudo o que estou sentindo? Não você não imagina. Porque, é como disse você nunca saberá o que o outro sente.

Na segunda feira, assisti um vídeo sobre depressão de um dos caras que mais admiro, que se chama Thiago Rodrigo (se você não o conhece, comece a segui-lo!), e o tema foi depressão, e daí ouvi e cai no choro, porque me identifiquei com cada palavra. Não, eu não estou escrevendo isso aqui porque vi o vídeo dele e estou querendo aparecer, pelo contrário, uma das minhas metas esse ano era postar mais aqui no blog, e por causa disso tudo, não consegui cumprir essa meta ainda.
A depressão ela te dar aquele sentimento de que você está fazendo o seu melhor, mas não tem sucesso, que você anda de marcha ré o tempo todo. Que todo mundo é feliz, menos você. É quando você recebe o que quer, mas não o que precisa. É se sentir sufocado. É você ter medo, insegurança. É se sentir sozinha em meio a uma multidão.

Meu único desejo hoje, é que todo esse sentimento saia de mim, e vá pra bem longe. O meu desejo é que as pessoas que estão passando por isso tenham ajuda, peçam ajuda, por favor! Ao contrário do que muitos dizem, depressão não é frescura. Não hesite em procurar um médico, e tente ao máximo se reerguer, um passo de cada vez. Se esforce, se ajude, acredite em Deus (independentemente da sua religião). Procure fazer o que você ama, mesmo que um pouquinho. Hoje eu resolvi a escrever e relembrar o início desse blog e o sentido de ter criado ele. Talvez me deixe um pouco melhor em dividir isso com você que ler esse texto, ou não. 

Mas, o que importa é que decidi dar o primeiro passo, tente fazer isso você que se sente e passa pelo o mesmo que estou passando.


Um Comentário

  1. Oi, Lílian. Eu estou aqui para dizer que realmente a Depressão é uma doença terrível. Eu não tenho, mas tenho muitos amigos que tem essa doença e respeito muito as pessoas que passam por essa situação. Gostaria de aproveitar para dizer que eu assisti o seu vídeo sobre Bambuí e fiquei muito emocionado, porque meu falecido pai nasceu em Bambuí e quando eu vi o seu vídeo, falando sobre a cidade, fiquei muito emocionado, porque eu adoro os mineiros e se Deus quiser, vou visitar Bambuí, por causa do seu vídeo. Um abraço a você e a todos os Bambuienses.

    ResponderExcluir

Novidades por e-mail