A noite passada não foi fácil, demorei a pegar no sono, contei até perder as contas, enfim dormi. Mas em todos os meus sonhos você está presente, talvez fosse melhor não dormir mesmo, assim, os sonhos não acontecem. Mas acordada a dor é maior, é intensa. Nos sonhos você ainda é meu. Confuso, tudo isso. Estranho a maneira como acabou. Mas, dizem que relacionamentos sólidos costumam acabar assim, como agente. Eu acreditava que você seria meu para sempre, mas o destino sempre trata de nos surpreender com caminhos diferentes de tudo que imaginamos. Você com seu all star velho, a calça jeans desbotada e aquele fone, ouvindo suas músicas. Tinha um jeito diferente, distante, mas, me surpreendia sempre, com umas mensagens em plena a madrugada do tipo “desculpa te acordar, mas eu preciso dizer isso: EU TE AMO”. Era assim, que sempre acordava, era dessa maneira que perdia o sono, e acho que por isso, hoje, tenho certa dificuldade em dormir, ainda espero suas mensagens. Todos os dias quando venho da faculdade, passo por todos os (nossos) caminhos, paro no parque, e aquele mesmo moço que vende aquela pipoca que eu tanto gostava está lá, mas a pipoca não é a mesma, ela perdeu o gosto, perdeu a cor. O que eu gostava não era a pipoca, era de você, era do seu jeito calado e encantador, do seu cabelo arrepiado, era do seu cheiro que ainda consigo sentir nos ar, na faculdade, em mim. Os dias se tornaram vazios, frio e cinza. Alguns meses se passaram, muita coisa mudou por aqui, sei que ai, onde você está tudo deve ter mudado muito também. O nosso fim, foi um simples “até mais” que meu coração ainda não entende muito bem, sei que um dia vai superar, mas entender jamais. Aprendi a conviver sem você, sem seu amor, sem seu sorriso. Passei a entender que grandes amores se vão, mas que deixam um vazio que só o tempo consegue explicar e só o coração consegue entender.  


Deixe um comentário

Novidades por e-mail