Noite passada resolvi sair, é isso mesmo! Sair, curtir, badalar, aproveitar sabe o que é isso? Há muito tempo eu não sei dizer o que é.  Resolvi vestir o meu melhor vestido e colocar a minha melhor sandália, afinal era a primeira balada sem você e por isso eu teria que caprichar no visual. Fiz a minha melhor maquiagem e resolvi soltar os meus cabelos loiros que há muito tempo eu não soltava e foi aí que eu percebi o quanto eles cresceram e estavam lindos como nunca, era a sua ausência que fazia isso tudo. Saí. Encontrei com a galera que a tempo não os encontrava. Já tinha me esquecido como é bom sair com eles, de como a farra era garantida. Chegamos à balada, bebemos umas e outras. E dançamos, conversamos, rimos, falamos besteiras, curtimos. Lá encontrei quem não via a muito, conversei com gente nova e conheci muita, mas muita gente bonita. E não me lembrei de você. Conheci outros caras, quem eu achei que me odiava ou não gostava de mim, chegou perto, puxou papo e conversamos horas (acho que encontrei novas amizades). Nem tínhamos saído daquela balada e já estávamos combinando outra. Igual aquela, não teria outra, disso tenho certeza. E sabe por quê? Porque percebi que ali eu revi as minhas melhores amizades, encontrei e consegui reparar em outros caras, coisa a qual achei que nunca mais conseguiria, conversei com gente que jamais imaginei conversar. E isso tudo é sua ausência. Eu nunca fui tão feliz, nunca mesmo. E olha que eu achei que felicidade era ao seu lado. Mas percebi que felicidade é longe de você. Eu voltei a ser o que era, dançar como antes, curtir como antes. E no final da noite quando resolvemos vir embora é que percebi que nem tinha me lembrado de você, que a balada tinha sido tão boa que você nem fez parte dela e que daqui pra frente você nunca mais estará presente nas minhas baladas.


Deixe um comentário

Novidades por e-mail